| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Jornalistas sem diploma
Desde: 04/03/2005      Publicadas: 18      Atualização: 15/04/2005

Capa |  Artigos  |  judiciais  |  Legislativas  |  Noticias


 Artigos

  29/03/2005
  0 comentário(s)


O preconceito e o desrespeito

O Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais publicou em seu sítio manifesto contra a liminar que concede a quem não freqüentou faculdade o direito de exercer a profissão.

Rodolfo de Souza (*)

O Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais publicou em seu sítio manifesto contra a liminar que concede a quem não freqüentou faculdade o direito de exercer a profissão. A decisão conta com a simpatia de quem preza a liberdade de expressão. Intitulada "SJPMG divulga lista de pretensos jornalistas", a nota do sindicato, carregada de preconceito e desrespeito, consegue a façanha de reacender o debate.

Idiotas, estúpidos, irresponsáveis e incompetentes há em todos os meios, inclusive no acadêmico. Quando se trata de produção intelectual, como o é a prática do jornalismo, ostentar um diploma não garante sabedoria, discernimento, bom senso e capacidade. São incontáveis os maus exemplos tanto do lado de cá " entre os não-diplomados, quanto do lado de lá " onde se entrincheiraram os jornalistas oriundos das faculdades. No entanto, o que se espera de uma entidade como o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais é uma postura ética e respeitosa com os profissionais (verdadeiramente profissionais), forjados no dia-a-dia das ruas e das redações " melhor escola não há.

Atuo no jornalismo " particularmente no radiojornalismo " há 28 anos. Não abdico do direito de escrever por causa de um mero diploma. Minha formação acadêmica em outra área não se compara de forma alguma ao conhecimento acumulado nestas quase três décadas de militância na imprensa.

Segregação ou incentivo?

Penso que, em vez de estimular a discriminação ou negar a carteira profissional, este importante sindicato deve promover cursos de aperfeiçoamento e avaliar criteriosamente os interessados no documento funcional e no desempenho da atividade, não só para os diplomados, mas também para os "pretensos" " usando a linguagem da matéria divulgada em seu sítio. Assim como há o exame da OAB para os bacharéis que pretendem ser advogados, por que não uma avaliação similar no caso dos jornalistas?

São fartos os relatos de recém-formados ou até de experimentados profissionais da palavra que nem sequer escrevem bem na língua pátria. São vítimas da fábrica de diplomas em que se transformaram algumas faculdades, onde desavisados jovens enterram seu dinheiro e de onde saem sem saber elaborar uma pauta, conduzir uma entrevista, editar áudio ou imagem, tratar fotos digitalmente... Não é preciso grande esforço para encontrar cursos assim, de tão baixa qualidade.

Por favor, revejam sua postura e reflitam: é melhor estimular a segregação e dividir a categoria ou incentivar a boa qualidade?

(*) Jornalista, independentemente do diploma ou da liminar (MTb 06873), editor-chefe da Rádio Vanguarda, Varginha (Sul de Minas)




  Mais notícias da seção # no caderno Artigos
15/04/2005 - # - A indústria do diploma.
TVE BRASIL/dados INEP - EDITORIAL do Observatório da Imprensa....
12/04/2005 - # - Por uma mídia mais democrática Por Renata Mielli
Há uma necessidade emergencial dos setores sociais organizados investirem numa comunicação alternativa, que faça frente à massificação da grande mídia capitalista. E hoje, mais do que nunca, isso é possível através da internet. Esse foi um dos consensos do debate ...
29/03/2005 - # - DIPLOMA EM XEQUE: A Narcísa pode, a Mesquita não
por José Antônio Bicalho (*) e João Norberto Barile (**) Quem é essa moça, Narcisa Tamborindeguy? E por que ela pode escrever em jornal? E a senhora Cristiana Mesquita? Por que ela nunca pode escrever ou colocar seu rosto na mídia do país?...
29/03/2005 - # - O efeito inesperado. por Victor Gentilli
Não sei se dá para caracterizar como um fenômeno ou um fato. Mas os indícios são insistentes, recorrentes, e oriundos principalmente dos grandes centros: São Paulo e Rio de Janeiro. Ninguém confirma nada, é claro. Mas a procura pelos cursos de Jornalismo nas escolas particulares, que vinha num crescendo, começa a dar sinais de reversão. Nos cursos ...
29/03/2005 - # - Jornalismo e construção social da realidade. por Alfredo Vizeu (*)
De uma maneira geral, sem a preocupação de aprofundarmos o tema, podemos resumir as definições de jornalismo e notícia a partir de dois grandes grupos: os que defendem a notícia como um espelho da realidade e aqueles que concebem a notícia como uma construção social da realidade....
29/03/2005 - # - A questão não é do diploma, mas do canudo. por Alberto Dines
Quando um sistema começa a ruir, tudo tende a ser questionado. Por isso é um sistema. Por isso, sistemas desabam inteiros....
29/03/2005 - # - "Por ora, não precisamos de diploma", por Mino Carta
copyright Carta Capital, 5/11/01"Jornalismo não é ciência, na melhor das hipóteses pode ser arte. Depende do talento inato de quem o pratica, da qualidade das suas leituras. O acima assinado gostaria de acrescentar: da sinceridade das suas crenças e da coerência dos seus compromissos....
29/03/2005 - # - Talento e o passaporte para o sucesso
Acompanho no Observatório da Imprensa a arenga sobre diplomados e não-diplomados se digladiando sobre quem é mais nobre e quem mais merece o título de jornalista profissional....
23/03/2005 - # - Reforma Completa (na universidade)
Discurso do Senador Cristovam Buarque, em 17/03/2005 no Senado Federal aonde coloca o diploma em seu devido lugar !!!!...
07/03/2005 - # - Liberdade de imprensa: muito além da Constituição
Não há democracia sem que todos os cidadãos, indistintamente, tenham plenae ampla liberdade de expressão e de imprensa...
07/03/2005 - # - LIBERDADE DE EXPRESSÃO E DIPLOMA DE JORNALISTA
Muito se tem discutido sobre se a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão de jornalista, instituída pelo Decreto-lei nº 972/69, estaria em vigor após a Constituição de 1988. ...
06/03/2005 - # - Claudio Abramo em "A Regra do Jogo"
Trabalhei 40 anos em jornal e acho muito difícil definir o que meia dúzia de atrevidos em Brasília definem como curso de jornalismo. Foi o que fez o patife do Gama e Silva (ministro da Justiça de Costa e Silva), que elaborou a lei para tirar os comunistas dos jornais...



Capa |  Artigos  |  judiciais  |  Legislativas  |  Noticias
Busca em

  
18 Notícias